Exames Complementares

Exames e Procedimentos

A Clínica da Visão possui o que há de mais avançado em recursos para a detecção de problemas oculares.
São equipamentos de última geração tanto para exames de rotina como para diagnóstico de complexas doenças da córnea, retina e vítreo.
Todos os Exames e Procedimentos são realizados por médicos especialistas. Expertise e tecnologia se unem para compor a nossa qualidade diagnóstica.

O PAM, tem função no prognóstico das cirurgias de catarata, pois tenta informar ao paciente se a sua deficiência visual deve-se exclusivamente a catarata ou por outros fatores associados.
Exame importante para avaliar o fundo do olho, muito útil no diagnóstico e na orientação terapêutica de várias doenças como o Diabetes mellitus.
Atualmente este exame desponta como um dos principais recursos para estudar a camada de fibras nervosas da retina, cujas células sofrem degeneração e morte principalmente nos casos de glaucoma.
Estes exames avaliam as disfunções na percepção de cores, tanto as hereditárias como as adquiridas.
O tratamento dos pacientes com visão subnormal é uma das nossas prioridades.
Forma de documentar uma condição clinica para simples documentação futura, para efeitos legais, para fins diagnósticos e terapêuticos.
Exame realizado com a lâmpada de fenda, espécie de microscópio que faz parte de quase todo o exame oftalmológico de rotina.
Estuda as perdas espaciais da visão. Útil nos casos de glaucoma, e inúmeras condições neurológicas, como por exemplo, um tumor de hipófise, podendo as vezes se antecipar às alterações clínicas.
Exame tradicional no diagnóstico e estudo do glaucoma e outras doenças da retina e do nervo óptico. Ficou relegado a segundo plano devido ao avanço tecnológico do campo visual computadorizado.
Exame manual para estudar as curvas da córnea. Mesmo sendo um exame tradicional, ainda tem o seu lugar em várias condições como por exemplo na adaptação das lentes de contato.
Tem várias aplicações nas doenças da retina, conjuntiva e pele. Ainda tem o seu lugar, mas esta sendo substituída pelo tratamento com os vários tipos de laser existentes.
Útil para o diagnóstico ou controle do glaucoma. O paciente deverá realizar ao longo do dia, 4 a 6 medidas da pressão intra-ocultar.
Calcula automaticamente o grau da lente intra-ocular, utilizada para substituir o cristalino doente (opaco) em caso de cirurgia de catarata.
Útil para avaliar os discos ópticos principalmente no glaucoma. Permite uma visão em 3D, dando informações adicionais que uma foto convencional não oferece.
Utilizado em vários distúrbios da motilidade ocular como reeducador. Seria o análogo de uma fisioterapia visual (parte motora).
Enquanto o exercício ortoptico trata os músculos (parte motora), no exercício pleóptico visamos desenvolver a função visual (parte sensorial).
Mede a evolução da exoftalmia. Exame rápido e sem necessidade de medicamentos ou preparo.
Forma de registrar uma condição clínica para simples documentação futura para efeitos legais, para fins diagnósticos e terapêuticos.
Identifica o aspecto do ângulo formado entre a córnea e a íris, local onde esta o conduto de schlemm, que é o canal que drena o líquido ocular (humor aquoso).
Também chamado de fotocoagulação. Utilizado nos tratamentos de diversas doenças do fundo do olho, como por exemplo, na retinopatia diabética.
É utilizado em procedimentos de fotocoagulação transescleral, no tratamento de retinopatia da prematuridade, no tratamento do glaucoma irido vascular e em outras aplicações semelhantes.
O laser de diodo 810 nm no modo micropulso (fastpulse) proporciona a possibilidade de alcançar a mesma eficácia do laser continuo, mas com o mínimo de lesão retiniana, justificando o tratamento mais precoce.
Avaliação utilizada no diagnóstico da tão comum síndrome do olho seco. Usada como alternativa ao tradicional teste de rosa bengala, por ser mais pratico e não causar desconforto ou ardência.
Uma espécie de fundo de olho global onde se estuda não só a retina e o nervo óptico examinados no fundo de olho tradicional, mas também a retina periférica e o vítreo.
Estuda a camada de células endoteliais da córnea. É importante como exame complementar no pré e pós-operatório de catarata, cirurgias refrativas, uso de lentes de contato e doenças corneanas.
Estuda a espessura da córnea para planejar as cirurgias de miopia, astigmatismo e hipermetropia, além de avaliar a evolução da espessura corneana em doenças da córnea e no manejo do glaucoma.
Ajuda na prescrição do óculos, medindo a refração (grau) de modo objetivo. Mas não exclui a necessidade do exame subjetivo realizado pelo médico.
Teste muito simples utilizado para estudo das lesões maculares.
O candidato ao uso da lente de contato deverá passar por um rigoroso exame prévio que inclui a refração ocular, a biomicroscopia e o estudo da função lacrimal.
Em uma consulta oftalmológica de rotina pedimos ao paciente para ler letras (tipos) sob um fundo branco, onde o contraste é de 100%.
Consiste em ingerir uma quantidade determinada de liquido e verificar se existe repercussão na pressão intra ocular. Útil no diagnóstico e acompanhamento do glaucoma.
Utilizado para o diagnóstico do olho seco. Estudo quantitativo das lágrimas. Geralmente associado ao teste de rosa bengala ou lissamina verde.
Enquanto o teste de schirmer estuda quantitativamente a lágrima, o teste de rosa bengala estuda qualitativamente o filme lacrimal.
Estuda o sistema motor e sensorial dos olhos, avaliando a visão binocular (visão em 3D).
O tratamento dos pacientes com visão subnormal é uma das nossas prioridades.
Exame de ponta para estudo de doenças da retina e do vítreo, em especial nos pacientes com Diabetes Mellitus. Atualmente este exame desponta como um dos principais recursos para estudar a camada de fibras nervosas da retina, cujas células sofrem degeneração e morte principalmente nos casos de glaucoma.
Medida da pressão intra ocular. Utilizamos o tonometro de Goldmann.
Moderna tecnologia para medição da pressão intra ocular, que não depende da espessura coneana, fornecendo o resultado via Bluetooth.
Faz um mapeamento das curvas corneanas. Útil na avaliação dos astigmatismos corneanos.
É o exame empregado quando os meios oculares não são transparentes, como por exemplo nas opacidades da córnea, na catarata, nas doenças do vítreo, coróide...
Procedimento rápido usando apenas uma gota de colírio anestésico. Util quando a cápsula posterior esta opaca, na limpeza da superfície da Lente Intra Ocular, nas Iridotomias em caso de Glaucoma de ângulo estreito.